Páginas

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Coursera oferece 4 cursos gratuitos sobre tecnologia

A Coursera, plataforma gratuita de cursos online, anunciou hoje parceria com duas importantes universidades brasileiras: USP e Unicamp passam a elaborar cursos em português para o projeto. Além disso, alguns módulos estão sendo legendados em português com a ajuda de tradutores voluntários.

O Brasil é o quinto país com mais cadastrados no site, com cerca de 300 mil usuários entre os 9 milhões no mundo todo. Criada em 2012 na Universidade de Stanford, a plataforma conta com 110 instituições de ensino parceiras que oferecem mais de 700 cursos em diversas áreas.

Por enquanto, apenas 28 cursos estão legendados em português, mas a intenção é que o número cresça. Os programas ministrados pelas universidades brasileiras começam ainda este mês. Para conferir todos os temas oferecidos, clique aqui.

Veja quatro cursos de tecnologia legendados em português:

Duração: 4 semanas
O curso ensina a programar e analisar dados em R. As aulas abrangem questões práticas da computação estatística, descrevem conceitos de linguagem de programação genéricas, além da construção de funções de depuração, leitura de dados e perfis na linguagem.

Duração: 1000 semanas *(Se o redator da Coursera não tiver colocado zeros a mais, o aluno vai estudar por 19 anos).
O curso ensina ideias de ciência da computação para quem não possui conhecimentos no tema abordando assuntos como hardware, jargões utilizados, funcionamento de softwares, funcionamento da internet, segurança na computação, entre outros.

Duração: 7 semanas
Durante as aulas, o aluno é introduzido à linguagem de programação com conceitos básicos, estruturas de controle e funções de JAVA.

Duração: 9 semanas
O curso é voltado para alunos com pouca ou nenhuma experiência em computação e ensina fundamentos básicos da construção de aplicações interativas que utilizam a linguagem Python. Para mais informações, acesse o programa do curso.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Aratuba se despede das vítimas do 14 de setembro

Emoção e tristeza marcou o último adeus as vítimas.

O enterro da funcionaria pública Maria Helena e do seu sobrinho Aureliano Pereira ocorreu no final da tarde desta segunda-feira (15), no cemitério São Miguel, localizado na Rua Targino Góes, em Aratuba.

Uma multidão de amigos e familiares compareceram ao sepultamento para o último adeus as vítimas do 14 de setembro de 2014.

Uma missa de corpo presente foi celebrada pelos padres Cláudio e Eudásio, em seguida os corpos seguiram em cortejo até o cemitério local. Os moradores do município de Aratuba ainda estão perplexos com a fatalidade ocorrida.

A POPULAÇÃO TAMBÉM SE DESPEDE DE LUCAS SANTIAGO

Na manhã da última terça-feira (16), foi a vez dos aratubenses se despedirem Lucas Santiago (garupeiro), outra vítima do 14 de setembro de 2014, que também não resistiu a gravidade do acidente chegando a obtido.

Amigos e famílias de Lucas Santiago rechearam as redes sociais com mensagens de fé e esperança para homenageá-lo.   

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Pe. José Maria Cavalcante é homenageado em torneio de futebol

Torneio da Gratidão pelos 50 anos de Sacerdote do Pe. José Maria Cavalcante Costa aconteceu no Distrito de Pai João em Aratuba.

O Evento esportivo marcou o aniversário da vida sacerdotal e do Padre José Maria, especialmente em Aratuba, onde o mesmo teve participação efetiva na formação das comunidades eclesiais de base.

O torneio foi idealizado por Pe. Moacir Cordeiro Leite, um líder religioso que solidificou suas bases no município de Aratuba, cuja história sacerdotal também é marcada por uma vida de renuncias e dedicação a serviço do povo de Aratuba. 

Uma multidão de fieis e esportistas compareceu para competir, prestigiar o evento e ao mesmo temo homenagear o sacerdócio de José Maria que dedicou parte de sua vida a Paroquia de Aratuba.  

Via Adriano Oliveira

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Cearense de Aratuba chama atenção por ter 24 dedos

Uma verdadeira celebridade em Aratuba, no interior do Ceará, é uma mulher que se tornou um mistério envolvendo o número 24. Conhecida como Valmira 24, ela chama atenção por onde passa, com um segredo escondido nas mãos e nos pés: ao todo, são 24 dedos.
Ela ainda mora numa casa de número 24 e tem 24 bonecas. Sobre sua aparência diferente, ela leva com naturalidade e até brinca com o programa Gente na TV/TV Jangadeiro. “Eu tenho 24 dedos e os outros não tem”, comenta. 

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

NOTA DE PESAR - Aratuba em luto

A Presidente da Câmara Municipal de Aratuba e os demais Vereadores manifestam publicamente solidariedade à família, aos amigos e aos admiradores dos dois aratubenses, Maria Helena e Aureliano Pereira, ambos falecidos na noite do último domingo em Aratuba.  

Maria era uma servidora pública de carreira que ao longo de décadas deu sua parcela de contribuição no desenvolvimento da educação e outras áreas em Aratuba, infelizmente não resistiu o abalo da perda inesperada de um sobrinho e veio a óbito. Aureliano, um jovem cheio de vida e com um futuro promissor pela frente, não resistiu ao acidente de motocicleta ocorrido.

Estamos na torcida pela recuperação do jovem “Lucas”, também vítima do mesmo acidente.

Nosso sentimento e oração é que Deus console os familiares que neste momento sofrem um dor irreparável.  

Tia sofre infarto ao saber da morte do sobrinho em acidente na cidade de Aratuba

Centenas de curioso se aglomeram em frente ao hospital de Aratuba a procura de informações.

Ao se deparar com o cenário da morte do sobrinho de 29 anos, a tia dele, uma servidora pública da Secretaria de Educação de Aratuba, sofreu um principio de infarto com outros agravantes e morreu na Sociedade Hospital Padre Dionísio em Aratuba, no Maciço de Baturité.

A mulher passou mal quando viu o rapaz acidentado, na noite deste domingo (14). O sobrinho dela sofreu um acidente com uma motocicleta que se chocou contra um poste nas proximidades do sítio Limoeiro, sentido Aratuba a Baixa Grande.

A funcionária pública recebeu os primeiros socorros já no hospital local, foram cerca de quinze tentativas de reanimação por parte da equipe médica, mas infelizmente ela não resistiu.   

Junto com Aureliano Pereira que veio a óbito estava outro rapaz (garupeiro), cujo estado de saúde é bastante delicado. A unidade móvel do SAMU foi acionada para auxiliar os trabalhos da equipe médica. 

O local do velório e horário do sepultamento ainda será divulgado.

Novas informações a qualquer instante. 

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Fontes de água secam no Maciço de Baturité

Mulungu e Pacoti estão há pelo menos um mês com interrupção pela Cagece. Guaramiranga vê poços secarem e moradores de Aratuba sofrem sem água nas torneiras.

Mulungu/Guaramiranga/ Pacoti. A lamúria da escassez de água na serra é a mesma do sertão, com o adicional de um maior desce e sobe ladeira para deixar água em casa vinda de um chafariz com água barrenta, mas "é a que tem". Para fazer a comida, tomar banho e lavar roupa. A falta de chuvas também comprometeu os reservatórios que abastecem a região, mas há outro adicional: o desmatamento para construção de casas de veraneio e hotéis, bem como o aumento da demanda por água gerada por esse crescimento populacional contribuiu para a "morte" das nascentes de água. Assim, cidades como Guaramiranga, Pacoti e Mulungu pagam uma conta alta no processo de urbanização. Nesse caminho das secas, o serrano, tal qual o sertanejo, mantém a esperança com a fé na devoção aos santos.

Na sede do município de Aratuba os moradores reclamam com a constante falta d'água que chega a durar mais de cinco dias, já é rotina as pessoas pegarem água na antiga fonte do escondido em jumentos e carros de mão. 
Altitude
Quanto mais alto, mais difícil de chegar água. Com pressão menor para subir pelos canos, a água chega pouca à casa de José Mairton, no Centro de Pacoti. Passa até dois dias sem água. "Quem não tem uma caixa d'água, ou muitos baldes para guardar, fica sem água.
Em cidade com racionamento, quem tem caixa d'água é rei. Francisco Nailton, filho de José Mairton, é um vizinho sem caixa. Pede a bênção ao pai e licença para pegar água, afinal, são quatro crianças para alimentar. Mas a vida deles é "boa" se comparada aos moradores do Sítio Areia, 500 metros distante dali e uns 30 metros mais elevada. Há uma pressão menor para que a água, que já é pouca, suba.
De acordo com o geógrafo Adriano Mendes, da Universidade Estadual do Ceará (Uece), os desmatamentos das encostas, provocado pelas construções, notadamente hotéis e casas de veraneio, têm gerado erosões e contribuído para a perda de água nas nascentes. A vegetação nativa possibilitava a infiltração no solo e, assim, acúmulo de água das chuvas.
Chafariz
Na casa de seu Luiz Gonzaga passa até uma semana sem aparecer água fornecida pela Companhia de Água e Esgoto (Cagece), que atende aos três municípios visitados pela reportagem. Por sorte, mora mesmo em frente a um dos chafarizes administrados pela Prefeitura Municipal. A água é obtida de um poço profundo e bombeada até o alto.
"Não fosse o chafariz, não tinha água", afirma. Não tivesse esse equipamento, as cerca de 30 famílias da "Rua 105" teriam que buscar do outro lado da comunidade, que tem um chafariz abastecido com carro-pipa porque o poço profundo secou.
Com o menor nível de água subterrânea, é preciso cavar cada vez mais fundo para se obter água. Mas cria-se um problema. Quem cava um poço de 40 metros "desvia" a água de quem tem um poço de 35 metros, por exemplo. O resultado é que o poço mais raso seca. E quando o poço chega próximo de 100 metros (que só consegue o poder público ou particulares com recursos suficientes), secam os poços residenciais da comunidade.
A localidade de Linha da Serra, em Guaramiranga, é conhecida pela estátua de Nossa Senhora de Fátima e por ter um dos principais mirantes da serra, de onde se avista bonito por do sol, o que se dá numa frequência maior do que a chegada de carro-pipa para abastecer o único chafariz da comunidade e as cisternas de quem as possui. "Não é todo dia que tem carro-pipa, falta água, e olha como vem", afirma o agricultor Antônio Tadeu ao mostrar um balde branco com água muito escura. Sua esposa, Antônia Batista, relata que há vários casos de crianças acometidas com diarreia. "Só pode ser a água", aponta.
ENQUETE
Como chega o abastecimento?
"Aqui na Linha da Serra não tem água encanada. O que chega é do caminhão e vem suja. Depois que coloca no balde precisa deixar o barro afundar para tirar água mais limpa e mesmo assim as crianças estão adoecendo"
Antônia Batista
Dona de casa em Guaramiranga
"Às vezes faz uma fila grande de madrugada para garantir água. Não pode faltar, mas falta. Tenho seis filhos para cuidar. Ontem mesmo pedi um balde d'água emprestado de uma vizinha para fazer o almoço"
Arleide Soares
Dona de casa em Pacoti
Sobe para 25 cidades abastecidas  pela Cagece com racionamento hídrico
Fortaleza. Pelo menos 25 cidades dependentes do abastecimento pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) estão com algum tipo de racionamento. Seis cidades a mais que um mês atrás. Mas esse número é menor que se levados em conta os municípios cearenses controlados por Sistema Autônomo de Água e Esgoto (Saae). Como não existe o mesmo modelo de centralização, as medidas de contenção acabam sendo decisões de cada administração local. Mas de acordo com Gianni Lima, da Secretaria de Recursos Hídricos do Ceará (SRH), quem define o racionamento é mesmo a falta de chuvas e os reservatórios secos. "O controle é uma forma de garantir que não se acabe".
Abastecidos pela Cagece com redução na oferta de água: Quiterianópolis, Catunda, Novo Oriente, Crateús, Ararendá, Jaguaretama, Capistrano, Caridade, Potiretama, Iracema, Alcântara, Hidrolândia, Farias Brito, Ipaumirim, Umari, Baixio, Trairi, Pentecoste, Croatá, São Luís do Curu, Irauçuba, Pacoti, Aratuba, Palmácia e Mulungu.
No Conjunto Planalto, em Mulungu, dizer que há racionamento já não faz muita diferença porque a comunidade se abastece da água de um chafariz, via poço profundo. "Tem uma semana que não vem água, mas o papel chega todo mês, afirma José Cláudio, que leva a conta de água até o chafariz que abastece sua casa para provar o que está falando.
Em nota, a Cagece afirma que estão em execução medidas operacionais no sistema de água, devido à baixa oferta de água bruta provocada pela estiagem. Anuncia que ontem, em Pacoti, novos poços entraram em operação.
Com relação à fatura de água, a Cagece informa que em áreas com abastecimento mais irregular, como alguns bairros de Mulungu, os clientes são beneficiados com a medição pelo consumo real, ou seja somente pagam pelo volume consumido.
Com informações do Diário do Nordeste 

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Parabéns Júnior Cruz

Nosso aniversariante é um eterno apaixonado por Aratuba.

Hoje (11/09) é o aniversario de Gedimar da Cruz Vicente (Júnior Cruz), Líder Comunitário, Diretor de Esportes da Associação da Juventude Aratuba (AJA), Estudante da Universidade Estadual Vale do Acaraú em Licenciatura de Educação Física e Técnico em Saúde Bucal.

Júnior Cruz atualmente é servidor do Centro de Especializado de Odontologia (CEO) em Canindé, ele divide seu tempo entre a família, trabalho e o povo de Aratuba.

A Redação da Revista Eletrônica Aratuba Online deseja ao militante e defensor dos direitos da classe juvenil, Júnior Cruz, felicidades, saúde e paz.

PMDB de Aratuba participa de encontro com Eunício Oliveira

TRABALHADORES DE VÁRIAS CATEGORIAS SE UNEM E DECLARAM APOIO A EUNÍCIO 15


Representantes da Nova Central Sindical de Trabalhador (NCST) se reuniram na tarde desta segunda-feira, dia 8, na praia do Pacheco, em Caucaia, com Eunício 15 governador e Roberto Pessoa vice-governador. Agricultores, trabalhadores do setor hoteleiro, de veículos e consórcios, da indústria, dentre outras, se uniram para demonstrar apoio ao peemedebista e apresentar um documento com três reivindicações das categorias, mas que o principal pedido para o futuro gestor do Estado é que o governo possa abrir o diálogo com os trabalhadores.
O encontro ocorreu na colônia de férias do Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares, Turismo e Hospitalidade do Estado do Ceará (SINTRAHORTUH) e reuniu trabalhadores de 74 municípios, como Limoeiro do Norte, Sobral, Quixadá e Iguatu. No documento entregue e acolhido por Eunício constam três pedidos: a regulamentação de 10% de gorjeta para os garçons, reconhecimento profissional dos vendedores de veículos e consórcios e a especificidade e regulamentação da categoria da agricultura familiar.
Eunício se comprometeu em atender as demandas, deixando claro sempre estar à disposição para ouvir e debater. Foi ouvindo as pessoas, destacou o peemedebista, que ele apresentou propostas que foram ao encontro às demandas do povo cearense, como a Lei Eunício Oliveira, que garantiu a renegociação das dívidas para o homem do campo. "Contem comigo. Não se governa sem diálogo. É dialogando com as pessoas que a gente se entende", argumentou.

O peemedebista lembrou sua luta para concorrer ao Governo do Estado, afirmando ter resolvido colocar seu nome nessa disputa por não concordar com a situação pela qual passa o Estado. Como exemplos, Eunício citou a falta de atenção para com a seca, lembrando que a única obra hídrica é um aquário em Fortaleza. Ele denunciou também o aumento na violência; a saúde precária, enquanto a atual administração gasta R$ 400 milhões em publicidade. "O nosso compromisso é com a verdade e a transparência", garantiu.

Arimatéia Anselmo, presidente da Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar do Estado do Ceará (FETRAF), pediu tratamento igual para as categorias, afirmando que hoje o Governo do Estado usa "dois pesos e duas medidas". "Esperamos uma administração igual e participativa. Nós vemos em Eunício a mudança necessária que o Ceará precisa", ponderou, lembrando que Eunício já mostrou, no Congresso Nacional, estar aberto ao diálogo. "Acreditamos que ele fará um governo diferente", complementou.

Luís Onofre, presidente do SINTRAHORTUH e da Nova Central Sindical de Trabalhador, também reforçou a necessidade de abrir o canal de diálogo entre o Governo e os trabalhadores. De acordo com ele, cada categoria tem sua luta, mas falta um governante que ouça essas demandas, por isso a reunião com Eunício, no sentido de reforçar essa necessidade de sempre manter o diálogo com os trabalhadores.

Luis Gonzaga Neto, presidente do Sindicato dos Empregados em Administradoras de Consórcio e Vendedores de Consórcio do Estado do Ceará (Sindcon-CE), explicou que, por acreditar na mudança através do diálogo, apoia Eunício para ser o próximo governador do Ceará. "Eunício será um grande governador. Se ele conseguir manter o diálogo com as entidades de classe, fará um grande governo", pontuou.

Júnior Lopes, presidente da Federação dos Trabalhadores da Indústria do Estado do Ceará (FTICE), deixou claro que apoia Eunício porque ele é a melhor opção para o Ceará. Conforme Lopes, a atual administração quer se consagrar com obras, mas esquece do homem, tendo encerrado o diálogo com os trabalhadores. Na sua opinião, é necessário voltar a ouvir as entidades e suas reivindicações, entendendo que Eunício é quem vai retomar o debate com o povo.

Fonte: www.eunicio.com.br